Tic-tac…Regresso às aulas!

Depois de dias longos, soalheiros e sem rotinas está agora a aproximar-se o regresso às aulas!

Para muitas crianças e jovens as saudades dos amigos, dos professores e do ambiente escolar já apertam, contudo, a vontade de continuar sem horas para deitar e com brincadeiras sem tempo limitado pode causar alguma ansiedade ou inquietação. As crianças nem sempre conseguem exprimir o que sentem de uma forma clara, e, por isso, nos próximos dias os pais podem identificar maior agitação, irritabilidade ou dificuldade em dormir.

Por outro lado, também os adultos se preparam para o “tic tac” do dia a dia. As roupas organizadas para o dia seguinte, os lanches do agrado da criança e, acima de tudo, o regresso à correria dos “pais uber” que levam e trazem para a escola e, por vezes, para as infinitas atividades extracurriculares.

Para promover uma adaptação mais calma e tranquila para todos deixamos algumas sugestões:

  • Reorganize os horários pós-férias antes do regresso à escola, as crianças devem voltar a deitar-se mais cedo para que antecipem o ritmo do dia a dia escolar e se habituem de forma tranquila;
  • Envolva a criança na preparação e antecipação dos materiais escolares para que se sinta motivada e parte integrante deste regresso;
  • Não antecipe de forma negativa as atividades ou exigências que vão encontrar, por vezes referências como “vais ter que trabalhar muito” ou “agora é que vai ser” podem potenciar maior ansiedade nesta transição;
  • Dê espaço para que falem sobre o que sentem, partilhe que também para os adultos o voltar à rotina pode ser desafiante;
  • Relembre todas as coisas boas que vão encontrar neste recomeço;
  • Inclua as crianças ou jovens na organização e planeamento da sua rotina, mas não se esqueça da importância (quase diria: direito universal) do tempo livre ou do tempo para nada fazer, dando espaço ao tédio tão promotor da criatividade;
  • Após o regresso às aulas converse frequentemente com o seu filho sobre como ele se sentiu no seu dia mas sem pressionar;
  • Promova momentos em que a criança pode ouvir os seus pais e/ou irmãos relatarem o seu dia, desenvolvendo a sua capacidade de ouvir e adiar a partilha;
  • Ajude-os a exprimir as suas emoções quando tiverem maior dificuldade na regulação do seu comportamento, normalizando os desafios e mostrando compreensão e aceitação.

E agora…está na hora!

Bom regresso às aulas!

Dr.ª Joana Filipa Mota

Psicóloga Clínica e Escolar